Artigos recentes:

 

  Trompas obstruídas, infertilidade, e fertilização in        vitro: e a hidrotubação, aonde é que fica?

 

 

Em todo o mundo, milhares de mulheres agora se perguntam por que não engravidam, estando “tudo normal”. Sim, esse quadro existe, e é a parte nebulosa da infertilidade.

Para se entender o que esta acontecendo, temos que nos transformar em criaturas bem minúsculas para poder viajar ao local onde tudo começa.

No interior das trompas, existem cílios microscópicos, que são responsáveis pelo movimento do ovo dentro da trompa. Se os cílios forem destruídos, não existe meios diagnósticos para descobrir, a não ser que se retire a trompa do corpo, e realize um exame histopatológico, mas depois não tem como colocar a trompa de volta!

Os sinais indiretos de que existe problema com os cílios, além da mulher não engravidar, será a presença no marido (leia no casal) de infecção por germes das espécies ureaplasmas ou mycoplasmas, e somente as vezes, as clamydias, e depois de agravada a situação, a visão macroscópica da obstrução da trompa mais afetada. A mulher pode ficar com uma trompa aberta e a outra obstruída, na ilusão de que a outra aberta esteja sã. Pode acontecer, mas as chances de que exista problema é grande.

Mas vamos voltar as milhares de mulheres que agora se perguntam: como resolver meu problema? Venho praticando a quase três décadas um tratamento simples, que vem apresentando bons resultados ao longo dos anos, que se chama HIDROTUBAÇÅO.

Mais uma vez, se não voltarmos ao mundo microscópico, vamos pensar que a trompa se trata sendo somente desentupida. Existe no fundo da parede da trompa, como em todo tecido epitelial do corpo humano, uma camada de células chamada MEMBRANA BASAL. Ela é responsável pela REGENERAÇÅO do epitélio no corpo. A Hidrotubação pode estimular o ressurgimento dos cílios pela membrana basal, desde que esta não tenha sido também destruída pela infecção.

Usando a Hidrotubação, junto com o tratamento da infecção presente no casal, tenho observado dois terços das pacientes desobstruindo pelo menos uma das trompas, com metade das pacientes engravidando de dois meses a dois anos, nosso período de acompanhamento.

O diagnóstico dos germes que mencionei acima deve ser feito através de PCR e cultura específica do esperma fresco, colhido no laboratório, conforme preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde 2006. Infelizmente no Brasil, são raros os médicos utilizando este método em seus laboratórios, e pouquíssimos médicos utilizando essa linha de raciocínio clínico e diagnóstico.

Agrava-se ainda mais com o poder da indústria farmacêutica, que enfiou na cabeça dos médicos de que podemos tratar Doença Inflamatória Pélvica crônica com AZITROMICINA ou DOXACICLINA, quando os antibiogramas tem mostrado alta resistência a estes antibióticos pelos ureaplasmas e mycoplasmas.

A fertilização in vitro no Brasil ainda oferece preços astronômicos, quando comparados a outros tratamentos médicos, sem falar nos inúmeros casos de insucesso, bem maiores do que imaginamos.

O tratamento através da Hidrotubação ainda ocorre em alguns lugares do mundo, e deve retornar ao ensino nas salas de aulas das faculdades de medicina, a partir dos novos trabalhos científicos que surgem, e a grande colaboração da internet, balcão do povo, onde podemos nos comunicar, e trocar experiências, depoimentos, e conhecimentos. 

 

                                                                                   Rio de Janeiro, 22/07/2015, Brazil

logo andre.png

 Infertilidade, trompas obstruídas, e espermocultura

 

 

Cada dia fica mais evidente a necessidade do tratamento e investigação do casal, nos casos diagnosticados como trompas obstruídas.

A doença sexualmente transmissível (DST) provocada por um germe que pode ficar 20 anos no organismo, e sem sintomas, é um dado importante a se considerar.

Culpar a Clamidia pela maioria dos casos de DST dificulta o diagnostico, pois não se pensando em outros germes, não diagnosticamos mais nada.

A espermocultura pelo método de PCR permite o diagnostico do germe causador pelo seu DNA, e os resultados são assustadores.

Hoje, podemos enxergar um mesmo germe causando: abortamento no primeiro trimestre (pela endometrite causada pelo germe), gravidez tubária (pela lesão dos cílios no interior das trompas), e a obstrução das trompas (pelo agravamento da lesão no interior da trompa). Três estágios de uma mesma doença: INFECÇÅO PELO UREAPLASMA OU MYCOPLASMA.

Mesmo desobstruindo as trompas (sequela da infecção) através da HIDROTUBAÇÅO, é necessária a investigação do casal, através da espermocultura.

Maiores informações: trompaobstruida@gmail.com

                     Rio, 03/08/2015 

                                               TROMPAS e INFERTILIDADE – uma grande confusão

 

Os médicos antigos viam a trompa como um tubo, que tem que estar “aberto” para o espermatozoide e o óvulo passarem. Com a descoberta da HISTEROSSALPINGOGRAFIA isto ficou evidente: trompa fechada, sem chances de gravidez.

Os médicos de hoje sabem que mesmo ditas “abertas” ou permeáveis na Histerossalpingografia, as trompas podem não estar mais funcionando. Como assim???

Existem cílios no interior das trompas, e estes cílios se movimentam em ritmo, carregando o óvulo e depois o ovo. Se estes cílios forem destruídos, já era a fecundação!

E qual o caminho?

Os médicos ditos “modernos”, hoje chamados de fertilêutas, indicam a fertilização in vitro (a FIV), como único caminho.

Outros médicos, adeptos de uma corrente mais naturalista, evoluíram a técnica chamada Hidrotubação, medicamentos que são depositados dentro das trompas, visando reestabelecer os cílios nas trompas doentes, dando chance da tentativa de tratamento das trompas, gerando a esperança de uma concepção de forma mais NATURAL.

Poucos são os trabalhos científicos sobre este tema, segue o link deste mais recente:

 

 

 

 

Na internet, melhor procurar por Hydrotubation.  O método não garante 100% de sucesso, mas comparada a fertilização in vitro, apresenta melhores chances de gravidez. Novos
trabalhos vêm sendo feitos para divulgação na mídia científica, atingindo os meios acadêmicos, para a volta do ensino do método de Hidrotubação nas universidades.

 

 

Tratamento de infertilidade de causa tubária - trompas obstruídas, ou não opacificadas, ou enoveladas, ou com alteração do relevo mucoso tubário, ou fixa alta na pelve.

"Toda unanimidade é burra" dizia o dramaturgo Nelson Rodrigues, uma frase que traz sabedoria milenar.
Não existe somente um tratamento para casos de infertilidade de causa tubária, como as obstruções, as trompas não opacificadas, alterações do relevo mucoso das trompas, trompas enoveladas, e fixas na pelve.
Mas a unanimidade existe nestes casos: tratar através da fertilização "in vitro". 

 

Primeiro: por mais moderno que seja, neste método, de cada dez tentantes, somente uma consegue amamentar sua cria, pois a estatística para mim só se conta por feto nascido vivo, e não por conceptos congelados.

 

Segundo: quem estimula esta unanimidade no tratamento, não tem experiência com outros métodos que possam dar a chance ao casal de gerar seu filho de uma forma mais natural.

 
Terceiro: existe um método utilizado chamado de HIDROTUBAÇÃO, antigo, e que poucos profissionais no Brasil tiveram a oportunidade de conhecer, ou praticar. Os alunos do grande mestre Altamiro de Sousa Vianna, professor titular da cadeira de ginecologia da UFF, em Niterói, RJ, sabem do que falo. Hoje com drogas mais potentes e modernas, o método melhora seus resultados.


Venho divulgando o método na web, pois através da internet é que descobri o total desconhecimento e prática do método no Brasil. Existem trabalhos científicos de prática do método no exterior http://drandrevaz.blogspot.com.br/2013/09/artigo-sobre-hidrotubacao-para-orientar.html?

 

Coloco meu site http://www.drandrevaz.com, e blog http://drandrevaz.blogspot.com.br, a disposição para mais informações para pacientes, ou para colegas quue se interessem por treinamento para prática diária em suas clínicas. 

                                                                                                              RJ, julho/2016                                                 

                                               CASO DE SAÚDE PÚBLICA

 

Existe na nossa população sexualmente ativa, um quadro de infecção venérea generalizada, fruto de décadas de liberdade sexual sem uso de preservativos.

Diferente da gonorréia, que tinha sintomas exuberantes e logo levava o casal á procurar um médico, esta infecção cursa assintomática, por anos no casal.

Com certeza, mesmo em passos de formigas, um dia este caso de saúde pública virá á tona, pois engravidar ficará cada vez mais difícil na nossa população. Não é um problema regional pois vejo o problema em casais da maioria dos estados do Brasil.

Causadas por MYCOPLASMAS, germes diferentes das simples bactérias, não tem parede celular, e são de difícil tratamento e diagnóstico. Hoje com a ajuda de exame que detecta o DNA dos germes pesquisados no esperma do parceiro masculino, ficou mais fácil. Mas vá encontrar quem faça este exame no Brasil !

Esta infecção que faço alarde, pode levar a quatro complicações para o casal:

 

- diminuição na qualidade e quantidade dos espermatozoides

 

- endometrite com abortamento no primeiro trimestre

 

- gravidez tubária

 

- destruição dos cílios no interior das trompas, levando á infertilidade, ou obstrução das trompas

 

A Histerossalpingografia continua sendo um excelente instrumento de avaliação da situação das trompas. Existem nuances no exame, que aos olhos de profissional experiente, trazem dados importantes, como o apagamento ou espessamento do relevo mucoso, ectasias ou dilatações, e a fixação de contraste peri-tubário.

Não basta a trompa estar aberta, com a prova de Cotte positiva, o que significa a trompa permeável. Ela tem que estar aberta e SADIA.

 

Trompas doentes ou obstruídas não têm a fertilização in vitro (FIV) como única solução. O tratamento da infecção no casal através de medicamentos, e o tratamento das sequelas nas trompas através da hidrotubação tem dado bons resultados há anos, apesar de pouco praticada pelos médicos do nosso país.

Para maiores informações veja os artigos em www.drandrevaz.blogspot.com.br.

 

 

RJ, AGOSTO, 2016                                                                      Dr andre vaz

Gravidez depois da Hidrotubação

                                 Engravidar depois da Hidrotubação

 

A infertilidade de causa tubária vem sendo um diagnóstico cada vez mais comum, causada na maioria das vezes por infecção genital, doença esta que se dissemina pelo mundo.

O comportamento sexual do casal determina sua saúde ou doença. Quase sempre sem sintomas, o germe causa alterações no homem (próstata) e na mulher (trompas).

Como o método de Hidrotubação é pouco utilizado pelos ginecologistas, fica a fertilização in vitro (FIV) como a única saída para muitas pacientes, que não conhecem o método.

Venho utilizando o método de Hidrotubação para tratamento das trompas obstruídas ou doentes há 30 anos em meu consultório, o mesmo utilizado pelo ilustre Professor Altamiro Vianna, a quem devo muito do meu aprendizado.

Quanto aos resultados, costumo SEMPRE alertar aos casais: nunca é 100%. Observo 60% das pacientes conseguindo desobstruir pelo menos uma das trompas. Sempre investigo o CASAL, tratando também o marido, pois senão a obstrução pode retornar. Os casos de gravidez acontecem na proporção de 40% das pacientes desobstruídas, num período de até dois anos, desde que acompanhadas quanto a ovulação, e não tenham patologia concomitante. Claro que a estatística é baseada em anos de observação e tratamento, e não por um grupo de WhatsApp de 05 pessoas!

A espermocultura por PCR deve ser feita no marido para documentarmos o germe que causou os danos. Recebo vários casais que tentaram a fertilização in vitro (FIV), com espermoculturas tradicionais apresentando resultados “normais”, mas quando repetidas por PCR, todos infectados. Não seria esta a causa de 15% de chance de gravidez com a fertilização in vitro, espermas infectados??? Só conheço um profissional no RJ realizando este tipo de espermocultura, por PCR.

 

Procure se informar sobre o método de Hidrotubação, pouco divulgado no Brasil. Na  internet, procure por HYDROTUBATION, para saber um pouco mais.

 

dúvidas: trompaobstruida@gmail.com                                                  março/2017

 

   

 

 

No tratamento da infertilidade de causa tubária, onde as trompas aparecem no exame de Histerossalpingografia como trompas não opacificadas, espessadas,  ectasiadas, afiladas, enoveladas, fixas, com apagamento do relevo mucoso, a ordem dos fatores no diagnóstico e tratamento vai alterar o produto.

Na maioria das vezes a causa infecciosa esta presente com ou sem sinais de endometriose.

Caso seja ignorada a pesquisa de infecção presente no casal, ocorrerá o risco de numa Videolaparoscopia disseminar a doença com a manipulação cirúrgica das trompas, ou, partir para uma Fertilização in vitro e fertilizar um ovo ou um espermatozóide infectado, terminando num aborto.

Sim, isto é passível de ocorrer e ocorre sempre que se confia numa espermocultura aos moldes dos anos 80.

Atualmente a espermocultura por PCR é ferramenta fundamental no diagnóstico da infecção e direcionamento do tratamento, SEMPRE DO CASAL.

Venho utilizando o tratamento do casal infectado com drogas orais no período mínimo de 28 dias. As pacientes são submetidas a Hidrotubação, com drogas e dosagens atuais, durante 21 dias, em aplicações semanais. Observamos índices de gestações mais promissores do que a Fertilização in vitro (FIV), num custo 80% menor do que uma fertilização, e com a chance de gerar uma gravidez naturalmente.

Gravidez nas trompas? Sim, pode acontecer, como na Fertilização in vitro, e com chances semelhantes. Se diagnosticada até 03 semanas de gestação pode ser tratada com medicamento chamado methotrexate ou metotexatro, não sendo necessária a cirurgia para a retirada da trompa afetada. Valendo lembrar que TODAS  com trompas doentes já correm este risco pela própria doença, sendo a tentativa sem tratamento uma “roleta russa”.

Não esquecer de pesquisar, já na primeira consulta: existe infecção no casal?

Pesquisou através de espermocultura por PCR com vistas para mycoplasmas, ureaplasmas, chlamydias, neisserias, ...?

Fica dado o recado, baseado numa experiência clínica de 30 anos.

 

                                                                                                                     abril/2018

Dúvidas: trompaobstruida@gmail.com

No tratamento da infertilidade a ordem dos fatores vai alterar o produto

                                     Infecção, infecção, infecção
 

Não engravida: existe infecção no casal?

Doença nas trompas: existe infecção no casal?

Gravidez  na trompa: existe infecção no casal?

Abortamento no primeiro trimestre: existe infecção no casal?

Baixa de espermatozóides: existe infecção no casal?

Prostatite assintomática: existe infecção no casal?

 

Estes são os vários casos que encontro em meu consultório, e resulta sempre numa mesma pergunta: existe infecção no casal?

Atualmente, e não me cansarei de alertar, o único exame fiel para este diagnóstico é a ESPERMOCULTURA POR PCR COM VISTAS PARA NEISSERIAS, CHLAMYDIAS, UREAPLASMAS, MYCOPLASMAS, E TRICHOMONAS.

Só conheço um profissional realizando este exame no Brasil, lembrando que não é um exame novo, preconizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) desde 2006 !

Tratar ovários policísticos, hipotireoidismo, hipoestrogenismo, fase lútea curta, etc, sem pesquisar infecção no casal através da espermocultura por PCR e a permeabilidade e saúde das trompas através da Histerossalpingografia, pode ser perda de tempo precioso para o casal.

Tratar o abortamento do primeiro trimestre apenas como ovopatia (doença do embrião malformado), nos dias de hoje, é “comer mosca”.

A liberdade sexual e a banalização do contato sexual sem proteção, como uma coisa corriqueira e de prazer momentâneo, trouxe uma série de consequências para a fertilidade humana. No meu ver existe um problema de saúde pública com relação as doenças sexualmente transmissíveis. Saudade da gonorréia, como diria o Professor Altamiro Vianna, doença rica em sintomas, que levava rapidamente o casal ao médico, permitindo o tratamento e a cura do casal.

Hoje em dia, na maioria das vezes causadas por mycoplasmas ou ureaplasmas, a infecção é assintomática, e desastrosa com o passar dos anos no organismo humano. Como explicamos, estes germes podem permanecer no organismo humano por mais de 20 anos, sem sintomas. O contágio é sexual, e pode ser adquirido na adolescência e descoberto na vida adulta. O tratamento se faz por antibióticos orais, por período mínimo de 28 dias de uso para o casal. Com este tratamento as lesões no homem regridem de 120 á 180 dias. Na mulher, a coisa é diferente.

As lesões provocadas no interior das trompas, leia destruição dos cílios internos, pode se regenerar, desde que tratada com enzimas e hormônio antinflamatório através da Hidrotubação, estímulo que permite a regeneração do epitélio ciliar, desde que ainda exista a membrana basal. As imagens de espessamento do relevo mucoso vistos na Histerossalpingografia são sinais de alteração deste epitélio, mas não servem de parâmetro para a cura.

Com o método de Hidrotubação observamos 2/3 das pacientes desobstruindo pelo menos uma das trompas, e das tratadas, 1/3 engravidando no período de 2 meses a 02 anos, valendo lembrar que são dados estatísticos, e não foram apurados num grupo de vinte pessoas no whattsapp!

E vão realizando videolaparoscopia e disseminando a infecção, ou fazendo fertilização in vitro na presença dessa infecção e terminando em aborto!

 

Fica aqui o alerta, e o depoimento de um profissional do ramo há 30 anos.

dúvidas: trompaobstruida@gmail.com

 

      (AQUI REUNO AS PERGUNTAS MAIS FREQUENTES E POLEMICAS)

                                 artigo revisado em novembro/2018

 

 

Existe tratamento para trompas doentes ou obstruídas?

SIM, E SE CHAMA HIDROTUBAÇÅO.


No caso de uma das trompas obstruídas,  ainda se pode engravidar com a outra  trompa?

CLARO QUE SIM, MAS AS CHANCES SÅO PEQUENAS. O risco de gravidez tubária é grande, pois a trompa pode estar doente.

A OUTRA TROMPA PODE ESTAR “ABERTA” PARA A PASSAGEM DO ESPERMATOZÓIDE, MAS NÅO EXISTEM MAIS OS CÍLIOS RESPONSÁVEIS PELO TRANSPORTE DO ÓVULO DENTRO DESTA TROMPA. ASSIM SENDO, NÅO OCORRE GRAVIDEZ.

 

A histerossalpingografia pode desobstruir as trompas?

SIM, MAS EM RAROS CASOS, a desobstrução acontece pela pressão do líquido injetado, chamada desobstrução mecânica, SÓ RESOVE SE AINDA EXISTIREM OS CÍLIOS DENTRO DA TROMPA, NÅO ADIANTANDO APENAS DESENTUPIR A  TROMPA, e não tratar os cílios.

 

O que significa desobstrução química das trompas?

A AÇÅO DA HIDROTUBAÇÅO SE FAZ PELO EFEITO QUÍMICO DAS SUBTANCIAS INJETADAS NO INTERIOR DO UTERO E DAS TROMPAS.

Essa química é composta de antibiótico, enzima, e cortisona.

 

Os cílios podem se regenerar?

TODA MUCOSA PODE SE REGENERAR, INCLUINDO A DO INTERIOR DA TROMPA, desde que não tenham sido destruída a MEMBRANA BASAL, local onde se encontram as células responsáveis pela regeneração.

 

 




Por que meu médico não conhece ou não indica a hidrotubação?

A HIDROTUBAÇÅO FOI POUCO DIFUNDIDA NO BRASIL, ficando para os alunos do professor ALTAMIRO DE SOUZA VIANNA ( da UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE) a missão de perpetuar o método.

MUITOS COLEGAS ESTÅO DESINFORMADOS NO BRASIL.

Muitos ginecologistas nunca viram ou sequer tocaram numa cânula de hidrotubação durante a faculdade.


NO EXTERIOR AINDA SE UTILIZA COM SUCESSO.

Existem trabalhos científicos recentes, um de 2009, sério e com uma grande amostragem de pacientes tratadas, com resultados de 62% de desobstrução tubária, com bons índices de gravidez pós- tratamento, veja a seguir:

 http://drandrevaz.blogspot.com.br/2013/09/artigo-sobre-hidrotubacao-para-orientar.html?showComment=1381276522357.

 

EXPERIMENTE colocar no GOOGLE a palavra “Hidrotubação”, e depois colocar a palavra “Hydrotubation”, para ver a diferença.

 

 

Por que temos que investigar o marido nos casos de obstrução das trompas?

NA MAIORIA DOS  CASOS a obstrução é de causa INFLAMATÓRIA/INFECCIOSA, e o melhor local de pesquisar o germe causador ESTA NO ESPERMA DO MARIDO (espermocultura pelo método de PCR).

 

 

Por que meu marido TEM que fazer a espermocultura pelo método de PCR?

ESTE METODO EXCELENTE acusa sem erro qual os germes causadores, pois pesquisa O DNA DO GERME no material examinado, e indica qual o remédio ideal para matá-los.

 

 

Por que tantas fertilizações in vitro (FIV) terminam em abortos, ou não dão certo?

Tenho recebido em meu consultório dezenas de pacientes que realizaram a FERTILIZAÇÅO IN VITRO SEM SUCESSO, e todas tinham seus maridos infectados por germes CHAMADOS UREAPLASMAS E/OU MYCOPLASMAS, raramente as Chlamídias.

Estas pacientes tiveram seus óvulos fecundados por espermatozóides CONTAMINADOS POR ESTES GERMES, gerando um ovo doente.

ATENÇÅO: todos apresentaram ESPERMOCULTURAS antiquadas e negativas REALIZADAS NAS CLÍNICAS DE FERTILIZAÇÅO.

NENHUM PACIENTE TINHA REALIZADO EXAME POR PCR !!!

 

Por que tantas clínicas de fertilização in vitro (FIV) não adotaram ainda a espermocultura pelo método de PCR?

NÅO TENHO RESPOSTA, tenho uma pergunta:

um método sofisticado como a Fertilização in vitro ( FIV), de alta tecnologia, CARÍSSIMO, deveriam se preocupar em utilizar espermocultura mais moderna! 

POR QUE USAM ESPERMOCULTURA DE TERCEIRA ???

 

A gravidez tubária pode provocar  a obstrução da outra trompa?

CLARO QUE SIM. Não só pelo efeito do sangue agindo como uma cola, fechando a outra trompa, mas pela infecção que pode ter gerado o aborto.

                                          ISSO MESMO!!!

A GRAVIDEZ TUBÁRIA pode sim ser de CAUSA INFECCIOSA, e adivinhem quem são os vilões? 

UREAPLASMAS, MYCOPLASMAS, E OUTROS A SEREM DESCOBERTOS

 

 

Devemos investigar a outra trompa, logo depois da prenhez tubaria?

SIM, esta é a rotina em nossa clínica diária, e temos salvado muitas trompas !

DESCOBRINDO CEDO, OS RESULTADOS SÅO ÓTIMOS.

 

 

Os remédios da hidrotubação podem causar alergia?

Raríssimos casos relatados, mas existe medicação alternativa neste caso.

 

 

Meu médico me falou que corro o risco de infecção fazendo a hidrotubação?

Maldade ou desinformação.

A Hidrotubação toma os mesmos cuidados utilizados na implantação do embrião no útero, praticada na Fertilização in vitro.

TODOS OS CUIDADOS DE ASSEPSIA E ANTI-SSEPSIA SÅO TOMADOS. Sem esquecer que na hidrotubação já existe um antibiótico em sua composição, que evita isto.


 novas dúvidas surgindo,

 e-mail: trompaobstruida@gmail.com

 

TELEFONE CENTRAL: (21) 2603-8679 e celulares:

 

                           VIVO   (21) 99680-0374 

                             Oi     (21) 98878-5136

                          CLARO (21) 96803-4913

                            TIM   (21) 98012-2779

VERDADES SOBRE A HIDROTUBAÇÅO

O QUE HÁ DE ERRADO com a Hidrotubação?

 

O QUE HÁ DE ERRADO com a Hidrotubação?

 

Com a divulgação desse método antigo na internet, muitas questões  vem surgindo a seu respeito.

Se funciona não resta dúvida frente aos vários casos de casais felizes depois de tratados (veja depoimento das pacientes tratadas neste site.

As dúvidas vêm surgindo em como fazer? Quais as  drogas que realmente funcionam? Precisa de antibióticos na química realmente? Quais as drogas Dr. André Vaz utiliza?

Qual o intervalo para as aplicações? A Histerossonografia com antibióticos é igual a Hidrotubação?

 

Cada vez mais ocupando seu espaço no tratamento da Infertilidade, e sendo uma opção NATURAL e mais barata do que a fertilização in vitro (FIV), estão aparecendo novos profissionais e se habilitando a usar o método de Hidrotubação. Me preocupa o comprometimento com o resultado obtido no tratamento do casal.

Então, o que vejo como caminho seguro:

 

1º) A abordagem deve ser feita no casal, tentando identificar o agente causador das alterações que aparecem nas trompas. O exame de espermocultura por PCR feito no marido é essencial no começo. Por que? Porque senão tudo que for feito, seja VIDEOLAPAROSCOPIA, FERTILIZAÇÅO IN VITRO, ou INSEMINAÇÅO ARTIFICIAL, será feito com infecção, o que pode atrapalhar, E MUITO, o resultado obtido no tratamento escolhido.

 

2º) É consenso científico na Hidrotubação o uso de enzima (hialuronidase), da cortisona, e de um antibiótico. De cara, por aqui já se conclui que não deve ser repetido em curto espaço de tempo, e me preocupa profissionais usando a Hidrotubação e repetindo com 3 dias! (?)

 

3º) A necessidade do uso de antibiótico na Hidrotubação vem sendo questionado, e me preocupa profissionais no RJ usando a HISTEROSSONOGRAFIA com antibiótico e dizendo ser igual a Hidrotubação. Além de má fé, o exame de Histerossonografia é de resultados duvidosos para diagnóstico de trompas obstruídas, e não é um método de tratamento.

 

4º) Os melhores resultados são obtidos quando o casal faz o tratamento oral ao mesmo tempo que a mulher faz a Hidrotubação.

 

5º) Não existe ainda exame que substitua a espermocultura por PCR com vistas para Clamidias, Mycoplasmas, Ureaplasmas, Neisserias, e Trichomonas sp, no diagnóstico da infecção no casal. Lembrando que essa infecção em 90% das vezes é assintomática no casal.                                                                                           

                                                                                                       RJ, 27/08/19    Dr. André Vaz

 

Mais informações, ou surgindo dúvidas use o e mail trompalegal@gmail.com

Existe outra opção fora a Fertilização in vitro?

EXISTE OUTRA OPÇÃO SEM SER A FERTILIZAÇÃO IN VITRO (FIV) ???

 

 


É claro que sim!!!

Cada dia mais, uma avalanche de pacientes sendo encaminhada para clínicas de Fertilização in vitro (FIV), como se fosse a única alternativa de tratamento. Com certeza é a última opção a se pensar no tratamento da infertilidade, pelo seu alto custo e complexidade do tratamento.

Muitos casos de infertilidade podem ser resolvidos no próprio consultório de ginecologia, deixando as clínicas de fertilização para última escolha!

Nos dias de hoje, se não descartamos a hipótese de infecção provocando a infertilidade, podemos estar “comendo mosca”. Os micoplasmas e ureaplasmas, e mais raramente a clamídia, são de difícil diagnóstico, e se confiarmos nos exames de sangue (imunológicos de antígeno-anticorpo), estaremos “engolindo sapos”!

Atualmente SOMENTE a espermocultura por PCR *pode esclarecer se existe infecção escondida no casal ou não. Indico sempre o Dr. Paulo Linhares, único realizando no RJ.

Para tratamento é essencial o exame de antibiograma par saber qual antibiótico usar. A DOXICICLINA foi tão receitada pelos ginecologistas que a metade dos exames demonstram que as bactérias já apresentam resistência a este antibiótico.

Para tratar o interior das trompas é indicada a Hidrotubação, com medicamentos e doses atualizadas, bem diferente daquela época antiga, quando tive a honra de aprender o método com o saudoso professor Altamiro de Souza Vianna, titular da cadeira de ginecologia da UFF.

Não perca seu tempo e dinheiro pulando de consultório em consultório. Venha fazer uma avaliação conosco.

 

*  P.C.R. é Polymerase Chain Reaction, técnica de biologia molecular que, caso na amostra analisada exista fragmento de DNA específico dos microrganismos pesquisados, faz múltiplas cópias (N.A.A.T., Nucleic Acid Amplification Test), permitindo a detecção; como todos os testes de biologia molecular este também é de altíssima eficácia diagnóstica (resultados falsamente negativos são raríssimos e falsamente positivos virtualmente impossíveis). Não é Proteína C reativa, exame de sangue de quantifica proteína de fase aguda objetivando complementar avaliação doenças reumáticas, infecciosas, cardiológicas e outras.

 e mail: trompalegal@gmail.com

 

 

 

A infecção por um vírus novo requer exames modernos e precisos.

O PCR, exame muito moderno, consegue identificar o DNA ou RNA do micróbio, permitindo a sua identificação e diagnóstico.

Nos casos de infertilidade a pesquisa da causa infecciosa se faz cada vez mais importante para o diagnóstico e o tratamento correto. Germes especiais têm feito a “festa”quando se trata de infertilidade. Mycoplasmas e Ureaplasmas (e mais raramente a Clamídia) são germes de difícil diagnóstico e tratamento e estão intimamente relacionadas com casos de infertilidade ou aborto no primeiro trimestre da gestação. O exame de PCR, agora muito difundido com a pandemia do COVID 19, vem sendo a ferramenta fundamental para o diagnóstico certeiro. Esses germes podem causar no homem alterações nos espermatozóides, e na mulher alteram as trompas, surgindo imagens na histerossalpingografia como ectasias, dilatações, apagamento do relevo mucoso, e até obstruções nas trompas!

Não perca seu tempo! Venha investigar a real causa da sua infertilidade!

Maiores informações pelo telefone (21) 2603-8679/99680-0374/98878-5136

 Infertilidade, COVID 19, e PCR

Prejuízo para a medicina brasileira - a tristeza da automação dos serviços e da sede de lucros.

Infelizmente a medicina brasileira sofre uma grande perda com o afastamento do Dr. Paulo Linhares, figura que era indispensável no tratamento dos casos de Infertilidade dos casais. Profissional altamente competente se despede da medicina após décadas de colaboração. 

Mesmo sendo considerados modernos, alguns exames automatizados trazem prejuízo a prática médica. Como exemplo vou citar o EXAME DE ESPERMA. Mesmo com a recomendação da OMS para o retorno desse exame para forma artesanal desde 2004, não conheço mais ninguém nesse imenso Brasil realizando esse exame de tal forma. Como diz o Dr. Paulo Linhares, "qual laboratório faz a análise do esperma dentro dos primeiros 30 (trinta) minutos, tempo fundamental para análise real de possível infecção nessa amostra???" A automatização e a sede de lucro gerou laboratórios como simples postos de coleta, com prejuízo direto do diagnóstico certeiro, principalmente quando se trata de exame de PCR do esperma. 

Graças a décadas de experiência temos bagagem para tratar os casais que apresentam Infertilidade de causa tubária. Com centenas de resultados positivos chegamos a conclusão de quais antibióticos podem acabar com as infecções causadoras do problema. Temos tratado os casais sem a realização do exame por PCR, com sucesso.

Mais uma vez lamento a automatização dos exames de esperma, com prejuízo direto dos casais que precisam desse importante exame. Que surja em breve profissional á altura do Dr. Paulo Linhares, e possamos retomar uma medicina de ponta, não pela modernidade das máquinas, mas pela dedicação e competência, como desse excelente profissional que agora se aposenta.